Maracanã

Maracanã

sábado, 21 de junho de 2014

Copa do mundo globalizado


Todas as vezes que ouço Imagine do profético  e  saudoso John Lennon, imagino que o amor seja o único  e honroso caminho para dirimir fronteriras e o esporte com suas  competicoes saudaveis venha a ser a diasputa saudavel entre naçoes.
Temos 32 selecoes guerreando nos campos de futebol durante a Copa no Brasil. Gente de culturas dispares que concentrarao esforços para golear adversarios ultrapassando limites e interagindo  esperanças. Deixaram para tras suas historias de guerras sanguinolentas ou seus momentos de dificuldades socio económicas. Estao a nos enebriar com sua capacidade de superaçao, seus sonhos pessoais. Jogadores, torcedores, familiares, profissionais de toda imprensa intenacional,dirigentes de entidades esportivas, delegacoes, toda a onfra estrutura hoteleira e de suporte túristico, aeroportos, milhares de voluntarios, todos estao empenhados em dar o melhor de sí para  que o mundo acompanhe um momento do Brasil como anfitriao do planeta por um mes fesafiante. Torcer para que hajá compreensao, maturidade e paz, alem de organizacao, civilidade erespeito as difrtencas humanas que sao a maior conquista  almejada. Melhor que taça é  a realizacao pregada por Lennon. Povos que identifiquem em nossas terras, de norte a sul, o espirito sadio da solidariedade e acolhida que sempre tivemis com imigrantes e turistas.
Mihoes de criaturas formam a grande massa humana globalizada, essa nova onda de seres sem fronteiras que sabe que, nacionalismos exacerbados ate servem para torcer em jogos de futebol, más que o melhor trofeu é  o do grande abraco em torno de um Planeta de paz e sustentavel para as próximas geracoes. Minha maior torcida é  a de Lennon. Voce pode dizer que sou uma sonhadora, más eu nao sou a única, como diz a letra da cançao. Copa com povos unidos, por que nao? Vamos juntos! Brasil, Japao, Australia, Irá, Coreia do Sul, Holanda, Italia, Argentina,Estados Unidos, Cost Rica, Alemanha, Bélgica, Suiça, Colombia, Espanha, Bisnia,Russia, Inglaterra, Chile, Equador, Honduras, Nigeria, Camaroes, Costa do Marfim, Portugal, França, Grecia, Croacia, Argelia, Gana, México , Uruguai.
Rumo a um.Mundo sonhado por Lennon!
Cida Torneros

As mulheres do setentinha Chico Buarque!




A cada primavera do Chico imagino que ele incorpore uma nova mulher. Ao completar setentinha como um artista tao querido e tao  talentoso, ele se destaca por muitos predicados mas um sobressai  e me intriga. Suas abordagens femininas sao um sucesso de sensibilidade e fazem crer no alto grau do
seu talento ao personificar as mazelas emocionais da mulherada. Olhos nos Olhos na interpretacao de Maria Bethania foi um Marco desta personificacao  emblematica.
outra genialidade do composiitor carioca mangueirense e amante do futebol está na cancao imortalizada por Gal Costa quando canta Se acaso me quiseres sou dessas mulheres Que só dizem sim.
O charmoso Chico chega aos 70 com jeito de meninao, Já nos proporcionou um sem numero de emoçoes inesqueciveis. Elis sussurrando a dor da mulher abandonada  em Atras da porta è antologica.
Cantando Chico cada uma de nós se sente compreendida, representada e atê vingada. Homem cuja poesia musical nos conforta e nos dá a sensaçao de bem amadas.
Um brasileiro integrado a sua geraçao que  nos orgulha. Chico faz parte do nosso patrimonio cultural em termos de musica, literatura, ideologia, brasilidade e muito msis. Entretanto, seu pungente la
do feminino talvez seja mesmo o segredo maior  de sua magia. Vida longa a Chico Buarque do Brasi!
Cida Torneros

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Povo brasileiro: hospitalidade e paixão pelo futebol


Quando se acompanha o noticiário sobre a realização da Copa do Mundo 2014, no Brasil, além da inegável e alucinante paixão pelo futebol, a gente se emociona com as reportagens a respeito da hospitalidade que o nosso povo oferece aos milhares de visitantes torcedores do mundo inteiro.
Episódios curiosos que registram a disposição da nossa gente para abraçar o adversário,  brincar com nossas proprias aflições e até aderir na torcida de seleções que ganham a nossa simpatia.
Os jornalistas estrangeiros relatam o quanto nosso país é fascinante. Estamos vivendo dias de afirmação sociologica, tema que deve merecer ainda muitos estudos de pesquisadores sociais. Apesar das manifestações democraticas ou exacerbadas algumas vezes, a Copa tem aqui um espirito esportivo de cunho nacionalista que ultrapassa partidos políticos e ideologias, que transcende classes sociais, que iguala diferentes raças,  que aproxima línguas traduzidas em sorrisos, abraços,  gestos carinhosos, que substituem palavras, que alcançam almas e corações.  Nossos hermanos de países latino-americanos também vieram somar com sua presença maciça, configurando uma união que nos identifica .
A hospitalidade brasileira faz a diferença nesta Copa do Mundo. Em todas as cidades sede, nos locais de concentração dos times concorrentes que se espalham nos quatro cantos da noss terra, o que se vê é a acolhida generosa, carinhosa, solícita e alegre de um povo que dá uma lição ao resto do mundo.
O Brasil sonha com o Hexa! A Copa já é um sucesso, uma Vitória da hospitalidade nacional!
Cida Torneros


segunda-feira, 16 de junho de 2014

salve a seleção brasileira!


viva Portugal!


Viva Portugal! Terra amada!





Aprendi a amar Portugal com meu avozinho Antonio que era marido da minha avó espanhola. Sangue  ibérico,  sim, mas vovô Antonio se naturalizou brasileiro e aqui ficou. Era um tipico português apaixonado pelo Brasil. Na Copa de 58, lembro dele enrolado na Bandeira brasileira. 
Nunca voltou a Portugal, faleceu ainda em 58, aos 65 anos, mas deixou em mim lembranças incríveis,  gostava se discursar, escrevia poesias, torcia pelo Vasco da Gama, viajava pelo Brasil, ia a Minas e foi uma vez à Bahia, de onde me trouxe uma pulseira cheia de balangadans. Ele gostava de cantar Rosinha dos Limões,  era risonho, prestativo, bom marido e bom pai. Veio para o Brasil ainda menino. Amava o nosso carnaval. 
Quanfo fui a Portugal pela primeira vez, claro, o sentimento de amor pela terrinha aflorou intenso. Voltei lá dois anos depois. Conheci várias cidades além da capital Lisboa. Trouxe pequenos objetos, ganhei outros de amigos portugues, estive rezando em Fátima,  seu povo me encantou. Imaginei um dia viver ali. 

Vamos Portugal! Reaja no jogo!
Cida Torneros

sábado, 14 de junho de 2014

Brasil!


Blog da Cida Torneros: alguns poemas de Maria Aparecida Torneros

Blog da Cida Torneros: alguns poemas de Maria Aparecida Torneros:   alguns poemas de Maria Aparecida Torneros Maria Aparecida Torneros da Silva é carioca, jornalista e ...

Isto é lá com Santo Antônio



Isto É Lá Com Santo Antônio
Carmen Miranda
Eu pedi numa oração
Ao querido são joão
Que me desse um matrimônio
São joão disse que não!
São joão disse que não!
Isto é lá com santo antônio!

Eu pedi numa oração
Ao querido são joão
Que me desse um matrimônio
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio!

Implorei a são joão
Desse ao menos um cartão
Que eu levava à santo antônio
São joão ficou zangado
São joão só dá cartão
Com direito a batizado

Implorei a são joão
Desse ao menos um cartão
Que eu levava a santo antônio
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio!

São joão não me atendendo
A são pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Disse o velho, num sorriso:
- minha gente, eu sou chaveiro!
Nunca fui casamenteiro!

São joão não me atendendo
A são pedro fui correndo
Nos portões do paraíso
Matrimônio! matrimônio!
Isto é lá com santo antônio

Composição: Lamartine Babo 


Blog da Mulher Necessária: A Mulher Madura

Blog da Mulher Necessária: A Mulher Madura

Anônima



Poesia de Aparecida Torneros, jornalista

Anônima

assim ela passa
sem nome, um rosto a mais
na multidão, lá vai, com seu passo apressado...
tem olhos que buscam o chão e o céu, passeiam...
seus olhos passeiam sobre as pessoas que a circundam...
ela passa e seus olhos passeiam..ela se vai...se perde...
mistura-se ao mundo, suas cores se diluem, seus pés se apagam,
seus braços se borram de tantos outros braços, sem afagos,circundam...
suas pernas se apressam, seu rosto se contrai em ânsias de ser compreendido...

terá ela um coração partido?
será ela um ser de sentido bem vivido?
terá ela a dúvida do ato falho e surpreso?
que grito terá ela na garganta deixado preso?
quantas vezes terá sonhado com a luz do infinito?
ou terá se rendido à desilusão de descrer de tanto mito?

lá vai ela, passa, passeia, na passarela da avenida em trânsito
ela me faz emergir em transe, cada vez que sua testa franze,
seu semblante me indica preocupação, tensão, correria, difuso âmbito,
ela está nas ruas como está nos bares, nas noites, como nos dias,
ela é parte integrante da desintegração da espécie, é criatura passante,
é ávida de maratona, é pululante, pulsante, equilibra-se nos saltos, arfante...

assim, ela me perpassa os olhos, me deixa lembrança, ainda que expressa,
como o café com pressa, qualquer segundo cometa que me ultrapassa, lépido,
sou como seu espelho retrovisor, mal ela se vai, sua imagem some, em mim,
quase nada ficou, talvez um rastro de luz, talvez a saudade dela, o épico,
da sua passagem, trago assim, o lamento bobo de não saber seu nome, intrépido,
me disponho a nomeá-la , apelidá-la, chamá-la como se convida com um psiu,
pois ela já está distante agora, além de mim, quem mais será que a viu?

Maria Aparecida Torneros
26/08/2007

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Selfie com Santo Antonio!

L




Fui com meu amigo Carlos de Laet assistir à missa das 10 nessa manhã de sexta, dia 13 de junho, na igrejinha de Santo Antonio, em Vila Isabel. Ela é de 1915, fica no alto de um monte, está lotada hoje, o dia inteiro, com fiéis devotos do Santo português que morreu em Pádua,  na Italia, onde estão seus restod mortais. Tive a sorte de ir a Pádua,  na sua basílica,  em 2011, na cidade de Padova. 
Um santo com história surreal, de tranporte de corpo, lendas incríveis,  milagres relatados idem.
Aproveitei e fiz uma selfie com ele! Sempre me protege, eu sinto que Antonio intercede por nós que cremos em Jesus. Como canta a Bethania, " o que seria de mim meu Pai, sem a fé em Antonio"!

BRASIL!










Brasil!